Indústria 4.0 by TOTVS

Lista dos 30 termos mais utilizados sobre Indústria 4.0

A Indústria 4.0 propõe a automação dos processos industriais por meio da implementação de dispositivos inteligentes que conectam os equipamentos, funcionários e clientes. Dessa forma, há uma interconexão entre dispositivos inteligentes permeando toda a cadeia de produção e logística, permitindo decisões em tempo real, diminuição de custos e fabricação de produtos altamente personalizados.

A Indústria 4.0 transforma totalmente a maneira como as fábricas operam, e essa é uma mudança que já está acontecendo. Por isso, é preciso começar a se acostumar com termos como Internet das Coisas e Big Data. Para que você não fique para trás, confira esse glossário que preparamos com os 30 termos mais utilizados na Indústria 4.0.

1. Big Data na Indústria 4.0

A presença de sensores em máquinas e de devices cada vez mais conectados à internet permite a coleta de uma quantidade enorme de dados, que podem ser utilizados para prever padrões de produção, detectar falhas na produção e, principalmente, entender o perfil de consumo dos clientes. Com as ferramentas de análise certas, o Big Data permite otimizar o processo das fábricas, identificar tendências e desenvolver produtos personalizados.

2. Internet das Coisas (IoT)

A Internet das Coisas consiste na possibilidade de objetos físicos poderem se comunicar entre eles, via internet. Isso acontece por meio de microchips interconectados que permitem a identificação de cada um dos devices na rede. Imagine, então, que na realidade da Indústria 4.0, uma impressora consiga solicitar a compra de seus cartuchos de impressão diretamente ao fornecedor quando os níveis de tinta estiverem baixos.

3. Inteligência Artificial (AI)

Os programas de Inteligência Artificial são independentes e baseados no reconhecimento de padrões, ou seja, na análise do comportamento e dos hábitos que permitem que o programa e os usuários consigam estar em sintonia. A Inteligência Artificial pode ajudar a fazer com que os robôs gerenciem a produção de um fábrica.

4. Realidade Aumentada

A Realidade Aumentada nada mais é do que uma extensão computadorizada da percepção humana. Dessa forma, a experiência real pode ser enriquecida com informação virtual e com a possibilidade de interação nesse novo cenário. Na Indústria 4.0, as fábricas podem ser gerenciadas à distância, como se o usuário estivesse na planta.

5. Blockchain

O Blockchain ficou conhecido com a explosão do bitcoin, mas ele vai muito além do mercado financeiro. Esse é um princípio que permite administrar e processar dados por meio de um sistema descentralizado. É como se uma cadeia de bloco de dados estivesse interligada e, para que uma transação de qualquer espécie aconteça, é preciso examiná-las sem perder as conexões.

6. Business Intelligence

Com tanta informação na Indústria 4.0, é necessária uma maneira altamente eficaz de extrair inteligência. E é essa a proposta do Business Intelligence, por meio de métodos sistemáticos de processamento e análise de informação digital. Para que isso ocorra, é preciso que os dados estejam conectados a um sistema de ERP para que, depois, seja possível criar níveis de conexão entre eles. A Business Intelligence permite obter insights valiosos, como as tendências do mercado e de consumo.

7. ERP (Enterprise Resource Planning System)

Falando em ERP, esse é um software de soluções no qual os negócios podem centralizar e processar todas as suas informações importantes, como dados de produção e vendas – tudo de forma a permitir uma rápida visão a respeito da produtividade da empresa.

8. Cloud Computing

O Cloud Computing compreende todas as atividades que acontecem por meio de um serviço online. Dessa forma, enviar e-mails ou processar documentos por meio de uma plataforma online é trabalhar com o Cloud Computing. A tecnologia permite descentralizar o armazenamento de dados salvos e torná-los acessíveis de qualquer lugar.

9. Fábrica inteligente

Na Indústria 4.0, a Fábrica Inteligente é uma unidade de produção na qual os processos são otimizados e gerenciados de forma automática e via máquinas conectadas. Nela, ferramentas individuais contém informações que podem ser usadas por outras máquinas. Com isso, é possível manufaturar pequenos lotes de forma altamente eficiente.

10. Integração vertical ou horizontal

Formatos de trabalho que permitam que departamentos dentro da indústria consigam trocar informações e contribuir entre si de forma a aumentar a produtividade. Assim, há uma criação de valor maior e grande otimização de processos, uma vez que a cadeia de fornecimento, produção e distribuição se tornam automatizadas.

11. Cibersegurança

Com tantas informações disponíveis e conectadas, a cibersegurança deve ser uma preocupação e um grande desafio para a Indústria 4.0. Cibersegurança significa que todas as tecnologias e informações estejam protegidas contra ataques ou perda de dados.

12. Automação robótica

A evolução tecnológica permitirá a criação de robôs que trabalhem de forma autônoma, flexível e com grande cooperação com a força humana de trabalho.

13. Simulação 3D

Produtos, materiais ou, até mesmo, processos que possam ser simulados em 3D para que seja possível analisar dados reais e, assim, aperfeiçoar os modelos antes da implementação.

14. Fabricação aditiva

Tecnologia que permite o desenvolvimento de protótipos, produções de pequenas séries de peças complexas ou sobressalentes e, inclusive, ferramentas personalizadas. Com o avanço da tecnologia de impressão 3D, será possível, inclusive, uma produção em larga escala para alguns casos.

15. Visão computadorizada

A visão computadorizada permite que um computador detecte as características de uma imagem por meio de um reconhecimento de padrões. Dessa forma, é preciso extrair informações da imagem para ajudar no processo de tomada de decisões.

16. Hub de inovação digital

Esse termo reflete um esforço das empresas em aumentar o seu potencial de aprender, testar e desenvolver produtos orientados à Indústria 4.0, ou seja, com altos níveis de qualidade, agilidade e personalização. Para tanto, uma rede conectada de laboratórios, equipamentos e softwares é criada com o objetivo de estudar e analisar a evolução da indústria.

17. RAMI 4.0 (Reference Architecture Model Industry 4.0)

O RAMI 4.0 é um modelo estrutural tridimensional que apresenta os níveis e participantes da Indústria 4.0 de uma forma que seja fácil de compreendê-los. Nesse modelo, os processos são divididos em unidades menores e é possível visualizar a hierarquia de estrutura de uma fábrica moderna. As funções, os processos e os dados estão integrados, permitindo uma descrição do ciclo de vida do produto. O RAMI 4.0 permite trocar informações de forma segura e desenvolver o processo manufatureiro.

18. Serviço

Na Indústria 4.0, o termo “serviço” engloba um escopo demarcado ou uma funcionalidade que é oferecida por uma organização via interfaces.

19. Digitalização

Compreende o processo de converter informações analógicas em dados que possam ser processados e comunicados digitalmente.

20. Tecnologias disruptivas

Esse já é um termo bastante comum e descreve inovações tecnológicas que não se deram por meio evolutivos, mas, sim, provocam uma ruptura com os modelos e padrões que já estavam estabelecidos no mercado.

21. Análise preditiva

A análise preditiva é um passo a mais na avaliação convencional de dados. Ela usa o aprendizado obtido com a análise convencional para prever tendências e acontecimentos futuros. Com isso, uma máquina poderia calcular o quanto de bateria precisaria para funcionar no futuro e otimizar o seu funcionamento.

22. Sistemas abertos interconectados (OSI)

Esse é um modelo que descreve como diferentes componentes de uma rede se comunicam uns com os outros. O OSI divide a comunicação em 7 camadas, chamadas de estações. Todas as estações são gravadas em um protocolo para que elas possam receber a informação necessária da camada interior e, assim, funcionar de forma eficaz.

23. Sistema de execução manufatureira (MES)

Sistema de produção que permite gestão em tempo real. O sistema registra e vincula dados operacionais (das máquinas e de implantação pessoal), e geralmente está conectado aos sistemas adicionais de automação da organização. O MES opera no nível de gerenciamento operacional e cria um vínculo entre os níveis de gestão corporativa e operacional.

24. Machine to machine (M2M)

Esse termo compreende a comunicação automatizada entre dispositivos. A troca normalmente ocorre via internet ou telefone celular, e é usada desde a engenharia médica até a produção automatizada. O M2M permite a manutenção remota de máquinas e reúne tecnologia de informação e comunicação.

25. Sistemas incorporados

Sistemas computacionais incorporados em outros sistemas ou máquinas, que conseguem realizar funções definidas, como o airbag de um carro, por exemplo. Esse tipo de sistema também será integrado a outros devices, como telefones e dispositivos domésticos, constituindo a base da Internet das Coisas.

26. Data Science

Esse é um campo acadêmico que compreende vários componentes para análise e interpretação de dados por meio da matemática, estatística e tecnologia da informação. Dessa forma, um cientista de dados não apenas coleta e analisa dados, como também interpreta e relaciona os fatos ao contexto em que estão inseridos.

27. Cyber Physical Production System (CPPS)

Em uma produção inteligente, o CPPS monitora e toma decisões com base em parâmetros individuais. Ele compreende objetos com software incorporado e conectados uns aos outros por meio de um sistema, como máquinas, drones e robôs. Dessa forma, os processos são controlados por software, sendo possível evitar erros de medição, garantir uma qualidade padrão e tornar todo o processo mais ágil.

28. Acompanhamento da jornada do cliente

Análise baseada em dados do processo de decisão de compra. Quando um cliente compra online, é possível avaliar qual foi o caminho realizado para tomar essa decisão e, assim, entender quantos impactos de publicidade são necessários para que um produto aumente as suas vendas.

29. Bits e bytes

Unidades de medidas para volume de dados, sendo que 1 byte é equivalente a 8 bits. Qualquer mídia tem a sua capacidade de armazenamento calculada em bytes, como dispositivos USB, smartphones e tablets.

30. Especialização inteligência

Termo usado pela Comissão Europeia para designar a utilização eficiente e sinérgica de fundos públicos para apoiar os países a melhorarem a sua capacidade de inovação. Ao mesmo tempo, a Comissão concentra recursos em áreas globalmente competitivas para impulsionar o crescimento econômico e prosperidade.

Você conhece algum outro termo da Indústria 4.0 que não citamos aqui? Compartilhe com a gente nos comentários para deixarmos o nosso glossário ainda mais completo e até a próxima.

Totvs_voz da industria

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *