A Retomada

Após crise, investir em setores estratégicos é fundamental para o crescimento das empresas

Depois de mais dois anos de crise econômica intensa no Brasil, diversos indicadores divulgados no final do ano passado mostraram que o País conseguiu sobreviver ao seu pior momento. E como a crise não traz só problemas, mas também soluções, daqui para frente não há outra coisa a se fazer a não ser olhar para o futuro, investindo em setores estratégicos para a manutenção e o crescimento das empresas, mesmo diante de possíveis oscilações do mercado.

De acordo com Alexandre Furigo, diretor de Operações e Supply Chain da TOTVS Consulting, um setor que tem contribuído para um bom resultado dentro das empresas é o de planejamento.

“Como a demanda, independentemente do tipo de indústria, mudou radicalmente nos últimos anos, é preciso planejar melhor. Quem vinha olhando para o histórico passou a ter dificuldades, pois a realidade de anos atrás difere da que estamos vivendo hoje. Então, é preciso ter um planejamento que impacte na produção e na logística”, completa.

Nesta mesma linha, outra área a se investir pesado é a de P&D. Inovar é antecipar o futuro. A digitalização é um caminho sem volta, que mudará por completo a dinâmica da produção nos próximos anos, dos fornecedores de matérias-primas básicas à logística de distribuição do produto final. Portanto, a dica é planejar-se com foco no futuro.

O departamento de exportação é outro que merece especial atenção, mais do que nunca. E se a sua empresa ainda não está inserida no mercado internacional, vivendo à mercê exclusivamente do mercado brasileiro, vale a pena investir efetivamente nisso. Como bem lembra João Carlos Visetti, diretor-presidente da TRUMPF do Brasil, “a grande transformação da indústria nacional é que ela está enxergando que não pode mais viver só do Brasil. Ela tem de partir para a cadeia global.

Somente assim, com planejamento e tendo aprendido com as lições dos últimos anos, teremos uma indústria mais forte e preparada. Afinal, podem até vir novos erros, mas não os mesmos.

Quer saber mais sobre a retomada da indústria neste ano de 2018? Continue acompanhando o nosso canal de conteúdo e até a próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *