A Voz da Indústria faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

shutterstock_75131428.jpg

Pré-usinagem acelera a produtividade da indústria

Aprimorar o processo produtivo colabora diretamente para reduzir os custos na indústria. Para se ter uma ideia, de 35% a 45% dos custos em operação são gerados no momento da usinagem. Portanto, atentar-se à pré-usinagem colabora para preparar as máquinas e ferramentas de maneira correta e, assim, evitar perdas por ociosidade ou por paradas.

Otimizar a pré-usinagem requer trabalhar 3 pontos-chave: a fixação da peça, a preparação da ferramenta e a fixação da mesma. Ao ganhar mais produtividade nesse momento, a usinagem também será melhor planejada e poderá se tornar até 40% mais produtiva.

Siga com a leitura e veja o que pode ser feito para otimizar cada um destes 3 pontos a seguir.

1. Fixação da peça

A fixações precisam ter mais rigidez para que possam estar adequadas às ferramentas de cortes moderna. Normalmente, a peça é fixada por meio de morsas, porém, neste processo há um tempo elevado de setup.

Atualmente, é possível contar com tecnologias de fixação que permitem reduzir os custos de produção, diminuindo o tempo de setup. O bloco e a mesa de fixação magnéticas, por exemplo, podem ser uma boa opção para a fixação da peça em CNC ou máquinas convencionais. Com eles, a precisão geométrica e dimensional aumenta, garantindo repetibilidade nos processos na usinagem, sem a necessidade de eletricidade.

Outra opção são os blocos modulares de fixação, também conhecidos como zero point. Apesar de ainda serem uma novidade, a tecnologia permite a montagem como peças de Lego, facilitando encontrar a posição ideal para encaixar a peça em ângulos diferenciados.

2. Preparação da ferramenta