A Voz da Indústria faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Liderança na indústria: por que é preciso saber o digital?

Lideranca na indústria por que é preciso saber o digital.jpg
Várias são as qualidades da liderança na indústria, mas ultimamente entender de digital é medida imprescindível para a fábrica do futuro

Tecnologias de transformação digital ganham cada dia mais espaço no ambiente industrial. Mas, para que esses processos tenham sucesso, cabe à liderança na indústria desenvolver profissionais que entendam do digital e tudo que estiver associado a ele.

O uso de soluções de Inteligência Artificial (IA), Analytics, Cloud, blockchain e Internet das Coisas (IoT), entre outras, ganha destaque em um cenário de rápida transformação ao conferir valor agregado a diferentes etapas de produção, mas depende de bons líderes para que seja gerenciado da melhor forma.

Diante dessa constante transformação, cabe à liderança na indústria, além da gestão tradicional, ter conhecimentos sobre a evolução digital e como ela contribui com o desenvolvimento do setor.

Fábrica do futuro: evolução constante que depende de bons líderes

No ambiente industrial, uma discussão bastante comum se relaciona ao futuro da indústria, como explica José Borges Frias Jr, Diretor de Inovação Corporativa da Siemens. “A fábrica do futuro é aquela que conseguirá realizar com sucesso a sua transformação digital. É aquela que aprenderá continuamente, se autoconfigurando e corrigindo seus problemas de forma autônoma”.

A maior questão, agora, é quando isso se tornará norma. Várias empresas já deram os primeiros passos com robôs, com softwares e algoritmos, IoT, computação em nuvem (cloud) e Inteligência Artificial/Realidade mista, que permitem uma análise de dados muito mais eficiente.

Fábricas autônomas vão, eventualmente, exceder o desempenho dos seres humanos em todos os processos de fabricação. Atividades mais físicas e menos desafiadoras intelectualmente serão eliminadas gradualmente, cabendo às pessoas as atividades mais elaboradas intelectualmente, ou seja, a liderança na indústria ganha espaço.

Diante dessa constante transformação, Carlos Tunes, líder de desenvolvimento de negócios da IBM, explica que a transformação digital deve fazer parte do escopo de qualquer líder que deseja comandar negócios de sucesso nos tempos atuais de hiperdigitalização. “Cabe ao responsável pela liderança na indústria estar disposto a adotar novos conceitos para acompanhar a rápida evolução da indústria”, diz.

Segundo o líder da IBM, a liderança 4.0 surge em um momento em que é preciso adequar a cultura corporativa e os processos de produção às inovações que passam a compor as operações e que mudam a maneira como as pessoas se relacionam entre si e com as máquinas.

Com conceitos de digitalização e multicanalidade, esse perfil de liderança na indústria tende a reunir conhecimentos de gestão e de tecnologia que, integrados, são de grande valia para definir estratégias de negócios e gerenciamento de pessoas. Com isso é possível superar os desafios existentes e que estão por vir como consequência de um mercado e sociedade cada vez mais conectados”, indica Tunes.

Benefícios da liderança na indústria com conhecimento em digital

Para que a transformação digital traga benefícios à indústria é preciso que líderes devam olhar para ela de forma holística, como explica José Borges Frias Jr. “Em primeira instância a transformação deve trazer benefícios de redução de custos e ganhos de produtividade, olhando a produção de forma a otimizar o gerenciamento de ativos e recursos”.

Assim, os responsáveis pela liderança na indústria com conhecimento no digital conseguirão levar os seguintes benefícios à sua empresa:

  • Melhoria da performance;

  • Melhoria nos resultados; e

  • Agilidade contínuo da organização.

Não é coincidência que organizações que se mantém líderes nos seus segmentos possuem lideranças com conhecimento digital. Esses líderes buscam constantemente em como devem adotar tecnologias, para melhorar o resultado, a performance e a agilidade da organização”, indica Tunes.

Segundo o líder de desenvolvimento de negócios da IBM isto é contagioso, pois gradativamente a cultura digital passa a estar permeando toda a organização e não apenas na liderança na indústria.

Além disso, José Borges Frias Jr ressalta que a transformação digital traz a necessidade das empresas se adequarem, pois as novas formas de trabalho exigem um novo “mindset”. “As equipes deverão trabalhar de maneira mais colaborativa e não raro caminham para uma colaboração aberta, criando resultados relevantes em inovação e criatividade. A organização passa a oferecer uma maior transparência e os líderes empresariais podem ter uma visão completa e precisa da empresa, o que os ajudará a tomar melhores decisões”, explica.

A base para isso exige o chamado “life-long learning”, ou seja, não só o líder, mas todos na organização devem buscar o aprendizado contínuo. “Há quem interprete isso como um problema, mas ao meu ver é outra vantagem, e precisa ser incentivada pelo líder 4.0”, opina Borges Frias.

Por fim, Tunes ressalta que o perfil do Líder 4.0 não é essencial para o “atual” momento, mas para o “novo” momento. “É um processo evolutivo que incorpora a contínua análise de novas tecnologias, aonde e como podem gerar benefícios para a sua organização e implementá-las rapidamente, para tomar proveito da vantagem competitiva para o negócio”, complementa.

A liderança na indústria depende de líderes curiosos e atuantes

Seja na indústria ou em qualquer outro setor, a digitalização não acontece de forma isolada, pelo contrário, a transformação digital tem acontecido em organizações de diversos setores e portes de forma contínua. A indústria, por exemplo, tem passado por grandes evoluções nos últimos anos.

Assim, para Carlos Tunes, o líder que deseja acompanhar essa movimentação deve manter-se curioso e um pouco inconformado. “Manter-se curioso é fazer perguntas e buscar conhecimento em fontes diferentes (parceiros, clientes, colegas e outras empresas referências no mercado, em empresas de segmentos diferentes), para que o aprendizado seja contínuo”.

Ser um pouco inconformado, é analisar o uso de novas tecnologias e o aprimoramento de processos está ligado também à flexibilidade e à capacidade de adaptação, usando novas soluções para problemas antigos.

Estar inserido em um ambiente digital, consumindo informação e sendo usuário de soluções digitais, pode ajudar na familiarização com essas ferramentas, entendendo na prática o valor da tecnologia para trazer facilidade e agilidade no dia a dia e seu potencial em uma aplicação em larga escala”, salienta.

Por fim, para a liderança na indústria 4.0 é fundamental ter em mente que a gestão de um negócio digital segue regras diferentes das regras de gestão de um negócio tradicional. “Cabe aos responsáveis pela liderança a indústria se prepararem e conduzirem a empresa para que ela siga no caminho da transformação digital”, finaliza José Borges Frias Jr.

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar