Indústria 4.0 by TOTVS

Indústria 4.0: ganhos de receita, custo e eficiência

Competitividade e produtividade são as palavras de ordem quando o assunto é Indústria 4.0. Por meio das novas tecnologias, softwares e da conectividade, as empresas estão se modernizando para produzir mais, melhor e com menores custos.

Mas não se engane ao achar que os ganhos de receita e a diminuição de custos são sinônimos de baixa qualidade. Com a Indústria 4.0, será possível entender melhor o processo produtivo e as necessidades do cliente. Dessa forma, a otimização será realizada com muito mais eficiência, permitindo ganhos maiores.

Equipamentos inteligentes são importantes, mas não são tudo

Muito mais do que adotar a tecnologia, a Indústria 4.0 propõe um entendimento profundo do negócio, oportunidades e gargalos. Só assim será possível empregar as mudanças propostas por essa nova era de forma a aumentar os ganhos.

“O primeiro passo para o setor caminhar rumo à Indústria 4.0 é a organização dos processos, criando uma cultura de produção enxuta. Posteriormente, deve-se buscar identificar pontos críticos de produção e verificar a possibilidade de automação e coleta de informações para auxiliar nas tomadas de decisão, sejam elas com relação aos clientes, seu próprio processo ou até mesmo com sua cadeia de fornecimento, buscando, constantemente, a redução dos tempos, aumento da qualidade e da produtividade”, explica Robson Wanka, gerente de educação do SENAI CETIQT.

Dessa forma, o especialista garante que o aumento da eficiência na Indústria 4.0 não é resultante de uma fórmula mágica, mas, sim, de uma mudança na cultura organizacional com foco na satisfação do cliente e no aumento da competitividade.

Metodologia estruturada como base da eficiência

Wanka exemplifica a importância do mapeamento das necessidades e do mercado da indústria acompanhado de um planejamento sólido por meio do MBI Indústria Avançada (uma aprendizagem assistida, com cinco imersões presenciais), oferecido pelo SENAI CETIQT.

Nele, a implantação da Indústria 4.0 é baseada nos seguintes passos:

  1. Definição do Posicionamento Estratégico de um Produto, frente às necessidades do mercado (Cliente Final);
  2. Definição do Produto para atender essa demanda, assim como qual tecnologia de material pode trazer benefícios diferenciais ao produto proposto;
  3. Definição do processo produtivo enxuto, não olhando apenas ao seu processo, mas sim toda a cadeia, desde o cliente até os fornecedores e parceiros;
  4. Definição das tecnologias avançadas ao processo, que tragam ganhos e vantagens competitivas frente aos concorrentes, tais como a digitalização da produção, a robotização ou o uso de Inteligência Artificial ou Big Data.
  5. Avaliação da viabilidade técnica, econômica e comercial dos produtos e investimento.

Mais informação leva a menos incertezas na Indústria 4.0

É importante ressaltar que a Indústria 4.0 não é uma proposta milagrosa que promete tornar todas as empresas que a adotarem altamente lucrativas. Pelo contrário, como qualquer mudança, exige muito planejamento, definição de objetivos e acompanhamento de resultados.

No entanto, o grande benefício da Indústria 4.0 está na compreensão profunda de toda a cadeia produtiva. Com o uso da tecnologia, é possível monitorar o mercado, o chão de fábrica e a gestão da empresa. Assim, as decisões passam a ser tomadas com base em informações e padrões, não mais na intuição.

O resultado é uma infinidade de dados valiosos a respeito do negócio, que permitirão tornar a indústria mais produtiva e, consequentemente, diminuir os desperdícios.

Comece pelo planejamento

Infelizmente, ainda há diversos obstáculos a serem superados no Brasil para que a Indústria 4.0 atinja o seu potencial máximo. E, somado a esse fator, muitas empresas estão receosas em realizar investimentos altos e de maneira equivocada.

“Nenhum risco pode ser evitado 100%, mas pode ser mitigado fazendo um estudo profissional e detalhado em termos de viabilidade técnica, econômica e comercial da aplicabilidade de tecnologias versus ganhos gerados em termos de tempo, produtividade, qualidade, redução de retrabalho, perdas com insumos e produtos acabados, desperdícios de energia, água, homem/hora etc”, aponta Wanka.

O especialista reforça que, em estudos realizados por eles, os ganhos são substancialmente superiores aos investimentos da Indústria 4.0, desde que realizados de forma coerente e planejada.

“Investir em capacitação/educação dos funcionários traz benefícios muitos superiores do que o uso de uma ou outra tecnologia de forma isolada. O grande salto nos resultados está na integração, conectividade e convergência das pessoas com os sistemas”, reforça.

Por isso, tome cuidado ao acreditar que a mudança se dará em um simples estalar de dedos. Primeiro, entenda melhor o potencial da Indústria 4.0 e suas tecnologias e olhe para dentro do seu negócio. Depois, comece a implantação de acordo com as prioridades e, aí sim, desfrute dos ganhos de eficiência e receita.

Totvs_voz da industria

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *