A Voz da Indústria faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

5G para a indústria: o que muda nas operações das fábricas?

5G na industria.png
A rede 5G para a indústria estão chegando. Saiba o que muda para as operações do setor e como empresas devem fazer para estarem preparadas.

A conexão 5G para a indústria está chegando e essa conexão ultrarrápida permitirá a troca de informações de uma forma muito rápida dentro do ambiente 4.0.

Devido às velocidades mais altas e à baixa latência, o 5G industrial se torna essencial e fator-chave para a quarta revolução da indústria, podendo fazer toda a diferença no uso potencial de ferramentas, como sistemas de IIoT (Internet Industrial das Coisas), robótica, armazenamento em nuvem e realidade virtual.

Por meio dessas inovações, o 5G para a indústria promete revolucionar o setor em todos seus campos. Mas quais são as mudanças nas operações das fábricas?

Para saber mais, conversamos com José Borges Frias Júnior, Diretor de Inovação Corporativa da Siemens. Ele explica quais são os impactos do 5G para a indústria indica os pontos que o setor precisa priorizar para se preparar para a chegada do 5G industrial.

A Internet 5G está chegando. Quais os impactos para indústrias?

As redes 5G estão chegando e prometem mudar de maneira definitiva a rotina, inclusive no meio industrial. O 5G  permitirá às pessoas se manterem conectadas, e, também, que máquinas “conversem entre si”, popularizando inovações tecnológicas.

Assim, uma das principais diferenças entre o 5G para a indústria e as gerações anteriores de redes celulares está relacionado ao fato de que o foco do 5G está na comunicação máquina-máquina e na Internet Industrial das Coisas (IIoT). “Em particular, o 5G suporta comunicação com confiabilidade sem precedentes e latências muito baixas”, indica Frias Junior.

Portanto, segundo o diretor de Inovação Corporativa da Siemens, essa tecnologia abre caminho para uma era da produção industrial que já começou, conhecida como “Indústria 4.0”.

O uso do 5G para a indústria visa melhorar significativamente a flexibilidade, versatilidade, usabilidade e eficiência das futuras fábricas inteligentes. A Indústria 4.0 integra a Internet das Coisas e os serviços relacionados na fabricação industrial e oferece integração vertical e horizontal contínua em toda a cadeia de valor e em todas as camadas da pirâmide de automação”, indica.

Diante disso, a conectividade é um componente essencial da Indústria 4.0, apoiando os desenvolvimentos em andamento, fornecendo conectividade poderosa e difundida entre máquinas, pessoas e objetos.

Principais benefícios do 5G para a indústria

As novas tecnologias de rede sempre foram um importante impulsionador da inovação. O mesmo se aplica ao 5G para a indústria que tem um potencial disruptivo para a infraestrutura e indústria.

No ramo industrial, a Transformação Digital poderá ser alavancada com a disponibilidade de uma conectividade tão poderosa como a que as redes 5G irão oferecer”, salienta José Borges Frias Júnior. 

O especialista explica que as redes 5G funcionam como um habilitador da automação, robotização móvel, veículos autônomos, realidade aumentada, computação a bordo, aprendizado de máquina, gêmeo digital e outras aplicações.

Complementando, embora algumas aplicações possam ser tecnicamente realizadas nas redes públicas 5G, existe um consenso cada vez maior de que as redes privativas 5G é que serão o grande alavancador destas aplicações.

Usando faixas de frequência privadas disponíveis localmente, as empresas podem configurar suas próprias redes 5G privativas para permitir a conectividade em áreas definidas - o que pode aumentar consideravelmente a flexibilidade na produção e logística”, indica o diretor da Siemens.

Além disso, graças à rápida transmissão de dados via 5G industrial, todos os componentes em produção podem responder às mudanças quase em tempo real. “Quando combinadas com tecnologias futuras, como computação de borda e em nuvem, as redes 5G para a indústria irão facilitar a análise flexível de grandes volumes de dados, o que as torna um driver para a transformação digital na indústria”, diz Frias Junior.

A conexão 5G será uma necessidade. Cabe à indústria se preparar para sua chegada

Ainda hoje, muitas máquinas utilizadas por indústrias brasileiras não são sequer preparadas para se conectar às redes convencionais. Por isso, antes de usar o 5G industrial, é preciso pensar com calma para saber qual é a melhor opção para quando essa rede 5G chegar.

Dessa forma, José Borges Frias Júnior ressalta que a indústria, de um modo geral, deve iniciar as discussões e avaliações em grupos multidisciplinares para decidirem qual é a melhor configuração do 5G, privativo ou não, que irá suportar as suas necessidades de conexão no seu plano de transformação digital.  “Em breve, conexão não será um fator limitante e quem sair na frente poderá obter vantagens competitivas no mercado”, diz.

Por fim, o especialista explica que a Siemens está liderando o desenvolvimento do 5G Industrial, atuando de forma ativa na padronização da tecnologia 5G no 3GPP e em associações internacionais da indústria como a 5G-ACIA.

A Siemens vai produzir equipamentos 5G para aplicações industriais e para utilities como as do setor elétrico. O primeiro produto 5G da Siemens é um roteador industrial. O SCALANCE MUM856-1, que suportará redes 4G e 5G. Em um encapsulamento IP65, o dispositivo foi desenvolvido para aplicações em ambientes industriais exigentes e pode ser usado em redes públicas e privativas 5G”, finaliza.

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar