A Voz da Indústria faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Pandemia: impactos para a manutenção preditiva e à distância

manutenção preditiva à distância
A pandemia trouxe sérias consequências às indústrias. Apesar disso, a manutenção preditiva sofreu um impacto positivo. Confira!

Em um cenário de pandemia, a necessidade de alta produtividade fez com que a parada de manutenção representasse uma dificuldade para indústrias. Por isso, muitas indústrias têm investido em processos de manutenção preditiva e à distância, o que vem proporcionando maior tranquilidade nessa etapa.

Esse processo já vinha acontecendo com o crescimento da Indústria 4.0, mas o cenário de pandemia acelerou a evolução do segmento de manutenção, com uma crescente necessidade por tecnologias com esse propósito nos parques industriais.

Dessa forma, é perceptível que a pandemia exerceu impactos positivos no mercado industrial, sendo o setor de manutenção preditiva e à distância o maior beneficiado. Por isso, vale conferir quais são os principais avanços que esse momento de crise trouxe para o parque industrial nacional.

A manutenção evoluiu em indústrias, mas ainda há problemas

Ao longo dos anos, houve um aumento na demanda por tecnologias de manutenção na indústria brasileira, que procura soluções seguras, confiáveis e que garantam o menor tempo de parada possível de sua produção.

Para Patrícia Cavalcanti, diretora de Field Services da Schneider Electric, a chegada da Indústria 4.0 trouxe ao setor industrial tecnologias como sensoriamento de máquinas, acompanhamento de performance de equipamentos e até mesmo processos analíticos, rodando 24 horas por dia, 7 dias por semana: “todas essas soluções demonstram que a manutenção está em constante evolução para atender as demandas locais e internacionais”.

Da mesma forma, João Visetti, CEO da TRUMPF Brasil, explica que as máquinas mais modernas, em linha com o que acontece, por exemplo, na indústria aeroespacial, vêm com uma quantidade infinitamente superior de sensores inteligentes, que permitem realizar o monitoramento do funcionamento do equipamento online.

 “Com base em nosso banco de dados e algoritmos de inteligência artificial, estamos criando um Digital Twin (gêmeo digital) para os diversos tipos de equipamentos que permitiram a detecção precoce de problemas e, com isso, deixar de fazer manutenções preventivas e realizar apenas o processo de manutenção preditiva”, explica.

Entretanto, apesar de toda a tecnologia, ainda é possível verificar, no cenário nacional, uma parcela de empresas que não dão a devida importância à manutenção. Por isso, ainda são relativamente frequentes eventos e acidentes em equipamentos na indústria.

Segundo Visetti, especialmente em nosso país é difícil falar sobre o parque industrial como um todo. “Como sabemos, a idade média das máquinas por aqui é superior a 15 anos”, salienta.

A pandemia acelerou os processos de manutenção preditiva e à distância

Certamente, a pandemia representa um evento trágico mundial, mas, apesar disso, a necessidade de produção ainda continuou no setor industrial. Dentro desse contexto, Patrícia Cavalcanti explica que a pandemia, na verdade, acelerou diversas mudanças na metodologia de manutenção industrial.

Já havia uma tendência de diminuição de interações humanas com equipamentos energizados e presença de pessoas dentro das subestações por questões de segurança. Mas por conta da pandemia, isso se tornou ainda mais urgente”, salienta.

A movimentação para a Indústria 4.0, para o uso da internet e adoção de tecnologias, se tornou uma necessidade para produzir com segurança e, ainda assim, permitir o distanciamento social e a menor interação entre as pessoas.

Dessa forma, a manutenção preditiva representa um grande avanço. Ela ajuda a entender os dados fornecidos pelos produtos e equipamentos e, a partir dessas informações, permite prever e evitar problemas futuros. “Diante da necessidade, o digital se tornou fundamental para a continuidade de processos”, completa a diretora de Field Services da Schneider Electric.

Um exemplo da importância da digitalização é citado por Visetti. Segundo o CEO da Trumpf Brasil, no momento mais crítico da pandemia, a empresa realizou treinamentos de operação de novos equipamentos remotamente. “Tivemos altíssimo grau de sucesso e incremento de tempo inferior ao perdido com deslocamentos”, comenta.

Vale ressaltar que tais fatores ainda não estão relacionados à manutenção à distância, pois a verificação visual do equipamento continua sendo muito importante. Mas a manutenção à distância é, também, um serviço que tem ganhado bastante força.

Principais impactos da pandemia sobre a manutenção preditiva industrial

manutenção preditiva à distância

Sem dúvidas, a pandemia exigiu de gestores de indústrias a tomada de decisões muito rápidas e assertivas. Neste cenário, houve uma aceleração exponencial na aceitação de serviços de manutenção preditiva industrial.

Além de todas as vantagens de se ter uma manutenção voltada para a condição do equipamento, Patrícia Cavalcanti ressalta que é possível evitar riscos às pessoas já que são menos funcionários dentro de uma subestação ou sala elétrica. Nesse sentido, já estão disponíveis no mercado diversas tecnologias que permitem um monitoramento remoto para manutenção preditiva.

Antes da pandemia também era possível ver uma movimentação da indústria nesse caminho. Porém, com a pandemia, a necessidade do distanciamento social e trabalho remoto aumentou (até mesmo na cadeia de produção), o que tornou esse processo muito mais procurado pelo mercado”, comenta a diretora de Field Services da Schneider Electric.

Além disso, a manutenção preditiva e à distância e a Indústria 4.0 possibilitam que os gerentes de manutenção tivessem um acompanhamento em tempo real da saúde dos equipamentos sem a necessidade de uma equipe completa no local.

Essa maior segurança em relação à saúde dos assets trouxe também uma garantia maior para a produção das indústrias, fazendo com que em diversos casos pudéssemos acompanhar um aumento de produção exponencial.

Por fim, é importante avaliar que essa evolução não termina aqui. “Ter equipamentos cada vez mais conectados e uma base de dados cada vez maior para que as análises à distância sejam mais assertivas faz parte da transformação digital acelerada que estamos vendo acontecer”, indica Patrícia.

Por isso, é extremamente importante que a indústria brasileira esteja pronta para essa rápida movimentação. Cada solução tem um objetivo específico de análise de dados para uma manutenção preditiva eficaz, com o intuito final de evitar qualquer tipo de parada não esperada.

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar