Gestão

Investimentos em TI são determinantes para implantação da Manufatura Avançada; veja como fazer

Como já dissemos em outras oportunidades por aqui, a Manufatura Avançada tem sido responsável por uma mudança na forma com a qual as indústrias passaram a olhar para a área de TI (Tecnologia da Informação). Visto anteriormente apenas como um “braço de apoio”, o setor ganha agora um novo status dentro das corporações pela sua ligação direta com o processo de implementação da chamada 4ª Revolução Industrial que visa a integração entre pessoas, máquinas, espaços (físicos e virtuais) e softwares de gestão.

“Alguns dos principais pilares da Manufatura Avançada são tecnologias diretamente ligadas à rotina de TI de uma empresa, tais como IoT (Internet das Coisas), Cloud Computing (computação em nuvem), M2M (Machine to Machine), Big Data e Virtualização (Cyber-Physical-Systems ou Digital Twin) que funcionam de maneira integrada, confiável e segura”, exemplifica Alexandre Watanabe, especialista em Manufatura Avançada da Fundação CERTI.

Diante disso, os investimentos em TI passam a demandar estratégias inteligentes e planejadas, seja para indústrias de médio ou grande porte, já que a área envolve muito mais do que a compra de computadores ou programas de última geração. Confira, portanto, como pode ser feito o investimento em Tecnologia da Informação para a indústria se adaptar ao conceito da Manufatura Avançada.

Planejamento estratégico

O primeiro passo para investir de forma adequada na área de TI é ter em mãos um plano estratégico, que contemple o atual cenário das tecnologias que a indústria possui, assim como o que ela pretende alcançar, de modo a melhorar os processos produtivos. Este estudo deverá levantar informações como equipamentos e softwares disponíveis, qual a situação da atual infraestrutura de rede e como está a capacidade do datacenter em todos os aspectos.

Só dessa maneira será possível fazer o planejamento correto de adequação da TI para a Manufatura Avançada.

Análise das tendências

O segundo passo dessa estratégia é a análise das tendências do segmento de atuação da indústria. Afinal, cada setor possui suas particularidades e pode caminhar em direções distintas. Portanto, além de analisar a situação da área de TI, os gestores devem, também, se atentar às novidades e tendências do seu mercado.

Esta análise deve fazer parte da etapa de planejamento estratégico para ajudar a indústria a definir qual caminho seguir e quais os melhores investimentos a se fazer no momento certo.

Definição das prioridades de investimento

Conhecendo a atual situação do ambiente de TI da indústria e as necessidades do segmento em que atua, o gestor passa a ter, então,  condições de definir o seu orçamento e a planejar os investimentos necessários para cada etapa da implantação da Manufatura Avançada.

Além disso, como o maior impacto no orçamento de uma indústria que visa migrar para o modelo 4.0 está relacionado, evidentemente, aos investimentos realizados no chão de fábrica, com a aquisição de máquinas e equipamentos inteligentes, a área de TI precisa ser lembrada e inserida no plano de aquisição de novos recursos para que sejam verificadas quais mudanças ela deverá passar para suportar esta nova demanda, seja na infraestrutura, no datacenter ou numa possível customização de um software de gestão.

Governança de TI e governança corporativa

Outro passo importante é o alinhamento entre governança corporativa e governança de TI. Afinal, todos os processos de manufatura modernizados passarão a ser integrados e, por isso, dependentes dos recursos de TI.

“Entendo que ter uma governança de TI bastante definida e robusta é muito importante porque vamos ter muitos equipamentos conectados à rede, e eles podem se tornar uma porta de acesso para uma invasão de roubos de dados, por exemplo. Esta governança precisa pensar em uma infraestrutura de rede interna e externa suficiente para comportar o volume de dados que vai transitar e se preparar para a aquisição de novas tecnologias para a digitalização, quer sejam elas na área de engenharia, da criação de modelos de equipamentos que estão operando ou que são produzidos no ambiente virtual. Ou seja, é preciso preparar a infraestrutura para lidar com este ambiente digital”, afirma Paulo Roberto dos Santos, sócio diretor da Zorfatec, consultoria especializada em Inovação Tecnológica.

 

Quer saber mais sobre a relação entre a área de TI e a Manufatura Avançada? Continue acompanhando o nosso canal de conteúdo e até a próxima!

 

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *