Indústria 4.0 by TOTVS

Como são as operações com a virtualização da indústria?

Entenda o que é e conheça os benefícios gerados pela virtualização da indústria, um importante pilar da Indústria 4.0

A virtualização da indústria é uma prática que permite reproduzir o funcionamento das fábricas de forma fiel no ambiente digital. Como pode ser aplicado a todas as etapas de produção, a tecnologia torna os processos mais inteligentes, permitindo antecipar problemas e tomar decisões estratégicas rapidamente.

Quer entender melhor o conceito de virtualização da indústria e quais os benefícios que ela pode trazer para o seu negócio? Acompanhe!

O que é virtualização da indústria

“Virtualização é uma tecnologia cujo objetivo é otimizar o uso de recursos computacionais de uma máquina física ou servidor. Ela permite que uma mesma máquina física possa executar múltiplas “máquinas virtuais”, que atuam como se fossem ambientes computacionais completos (com seu próprio sistema operacional e aplicativos) e independentes (uma máquina virtual não interfere na outra)”, explica Thiago Araki, gerente de arquitetura de soluções da Red Hat.

O especialista complementa ainda que a virtualização é a base para uma série de inovações recentes, como Cloud Computing, Internet das Coisas (IoT), Big Data, Sistemas Embarcados e, mais recentemente, Linux Containers.

Virtualização e Indústria 4.0

Quando o assunto é tecnologia e otimização de processos, os conceitos de Indústria 4.0 não podem ficar de fora.

“Uma das principais características da Indústria 4.0 é a intensa utilização da tecnologia nos processos produtivos, no qual dispositivos e máquinas inteligentes conversam entre si e cooperam para tomar as melhores decisões e operações na cadeia de valor”, esclarece Araki.

Para que esse novo cenário seja possível, no entanto, o especialista explica que são necessários diversos servidores (ou até mesmo um ambiente de nuvem) para suportar o crescente conjunto de sistemas integrados que controlam e monitoram os equipamentos e robôs inteligentes da produção com eficiência e segurança.

“Neste ambiente computacional mais complexo dentro da Indústria 4.0, a virtualização tem como papel principal proporcionar elevados ganhos de eficiência, simplificar a adoção de novas tecnologias e permitir a melhor gestão sobre um conjunto cada vez maior de sistemas que controlam toda a cadeia produtiva. Desta forma, a virtualização se tornou umas das tecnologias fundamentais para a Indústria 4.0”, complementa.

Como se dá a operação com virtualização?

De acordo com Araki, uma operação com virtualização aproveita as características e funcionalidades de máquinas virtuais para simplificar a gestão de sistemas usados na produção industrial, como, por exemplo, equipamentos PLCs, HMIs e de calibração de instrumentos.

Com isso, é possível produzir com mais eficiência operacional e custos menores. Além disso, a operação se torna mais padronizada e segura, uma vez que os sistemas tomam decisões automatizadas e rápidas diminuindo os tempos de paradas.

“Além disso, é uma operação mais flexível para adicionar ou expandir linhas de produção ou novas plantas, inclusive em situações de integração devido a fusões e aquisições, uma vez que os dispositivos executam imagens de máquinas virtuais padronizadas e aprovadas, que podem ser facilmente colocadas em uso quando for necessário”, complementa.

O que muda com a virtualização da indústria

A virtualização da indústria, assim como todas as mudanças propostas pela Indústria 4.0, traz uma ruptura na forma como as fábricas operam atualmente.

Os sistemas são totalmente integrados e atualizados de forma automatizada, diminuindo a necessidade de controle humano ou de atrasos em detecções de falhas. Assim, a frequência de erros e paradas diminui exponencialmente.

“Segundo o estudo Threat Intelligence Report 2017, elaborado pela NTT Security, os ataques cibernéticos aumentaram 24% globalmente durante o segundo trimestre de 2017 em comparação com os primeiros três meses do ano, sendo a indústria de manufatura a mais visada”, alerta Araki.

Isso significa que o grande risco e custo do modelo produtivo convencional inibem a adoção de sistemas inteligentes que habilitam a Indústria 4.0. “Por outro lado, uma operação com virtualização traz ganhos em eficiência e automação que são a base para que novas tecnologias e inovações sejam adotadas pelas empresas de forma segura e em larga escala”, acrescenta.

Por que adotar a virtualização da operação?

A indústria é cada vez mais pressionada para diminuir custos e aumentar as vantagens competitivas. Por isso, há cada vez menos espaço para ineficiências em toda a cadeia de produção e vendas.

“A virtualização oferece inúmeros benefícios econômicos e técnicos e, portanto, já é um padrão adotado em larga escala em ambientes computacionais tradicionais e de nuvem, há mais de uma década”, reforça o especialista.

A virtualização permite que múltiplas máquinas virtuais possam atuar dentro de uma mesma máquina física. Com isso, os benefícios econômicos e de eficiência são enormes.

“Também promove maior eficiência operacional, pois diminui significativamente o tempo de aquisição de uma nova máquina e a complexidade de administração. O que chega a levar semanas para comprar, instalar e configurar manualmente uma máquina física, agora, em questão de minutos, uma nova máquina virtual pode ser solicitada”, complementa Araki.

Nesse cenário tão benéfico e promissor, as empresas que adotam a virtualização da indústria podem alocar mais recursos em inovação. Com isso, os diferenciais competitivos tendem a crescer, tornando o negócio mais lucrativo.

Será que a sua empresa não está perdendo tempo e dinheiro ao demorar em adotar a virtualização da indústria?

Totvs_voz da industria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *