Gestão

PCP: motivos para apostar em Planejamento e Controle da Produção

Planejar, programar e controlar o que se produz é essencial em qualquer indústria. Por isso, uma boa gestão é fundamental para que a empresa cresça e seja referência no que produz. Uma das formas de auxílio a essa gestão é um processo chamado PCP (Planejamento e Controle da Produção), que integra o gerenciamento das principais atividades da indústria. O PCP é responsável pelos recursos operacionais de produção, como o planejamento, a programação e o controle.

Sendo assim, é por meio do Planejamento e Controle de Produção que os recursos operacionais serão definidos. O PCP envolve funções de planejamento (o que será produzido e com quais recursos), programação (definição de recursos e sequência) e controle (monitoramento e correção).

Objetivos do PCP (Planejamento e Controle da Produção)

O PCP é “responsável pela coordenação e aplicação dos recursos produtivos. Com isso, é possível atender os planos estabelecidos em níveis estratégicos, táticos e operacionais”, afirma a administradora pela Universidade Federal de Santa Catarina, Rafaela de Oliveira.

De acordo com Rafaela, há três níveis hierárquicos do PCP:

  • Nível estratégico – Definição de políticas estratégicas de longo prazo da empresa. Assim, o PCP passa a participar do Planejamento Estratégico da Produção.
  • Nível tático – Estabelecimento de planos de médio prazo para a produção. Nessa etapa, desenvolve-se o Planejamento Mestre da Produção.
  • Nível operacional – Preparação dos programas de curto prazo de produção. Estágio em que o PCP prepara a Programação da Produção e executa o Acompanhamento e o Controle da Produção.

Além dos níveis principais, deve-se levar em consideração outras questões:

  • Quantidade de produtos a ser fabricada.
  • Layout da planta da fábrica, para melhor aproveitamento do fluxo dos insumos.
  • Etapas que compõem o processo de manufatura.
  • Definição da mão de obra, tanto mecânica quanto humana.

Com essas delimitações, a indústria pode planejar, programar e controlar melhor o processo de produção. Dessa forma, é possível revisar constantemente os objetivos estabelecidos e evitar desvios.

Etapas do PCP

O PCP envolve diversas atividades, variando de indústria para indústria. No entanto, existe uma estrutura de etapas de produção que geralmente está presente. São elas:

Previsão da demanda

Realizar uma previsão da demanda significa saber o quanto irá vender e, com isso, calcular sua demanda de produção. É possível ter previsão de demanda, inclusive, para produtos feitos sob encomenda. Assim, o planejamento tende a gerar uma resposta no curto prazo, por meio da qual se prevê questões de estoque, e em médio prazo, equivale a um plano de seis meses a dois anos. Em longo prazo, gera-se um planejamento de cinco anos ou mais, que envolve ampliar a capacidade de produção, desenvolver novos produtos ou alterar a linha de itens já existentes.

Planejamento da capacidade de produção

Passa-se, então, à necessidade de adequar a capacidade à demanda.

“Assim, fica claro que, se foi necessário acelerar a produção e criar novos produtos, será preciso adquirir mais matéria-prima para cumprir o planejamento. Por isso, também é indispensável planejar a demanda”, garante Rafaela. 

Planejamento agregado da produção

É realizado baseado em um plano de médio e longo prazo, ocorrendo a previsão de níveis de produção e estoque, e pode durar de seis meses a dois anos, variando de acordo com o tamanho e o tipo de produtos fabricados.

Além disso, outros aspectos devem ser considerados, como as contratações e demissões de pessoas para a produção, horas extras, logística, entre outros pontos.

Planejamento mestre da produção

“O planejamento mestre da produção está voltado para a operacionalização da produção, tomando-se as decisões quanto às necessidades de produtos acabados para cada período analisado”, afirma a administradora.

Ela explica, ainda, que se trata da operacionalização das estratégias definidas para curto prazo, em um período definido. Nessa fase, os recursos são direcionados para que se produza a quantidade necessária para cumprir a demanda de um determinado período. Como é um ciclo menor, os itens e as quantidades são delimitados com um grau de detalhamento maior do que no planejamento agregado.

Programação detalhada da produção

Está relacionada às atividades desenvolvidas diretamente no chão de fábrica. Podemos dividir essa etapa em subcategorias, como administração de materiais e sequenciamento e emissão das ordens de produção.

Controle de produção

Última etapa do processo, nela acontecem o acompanhamento e a mensuração do que foi colocado em prática nas fases anteriores. O objetivo é verificar o desempenho da produção e a realização dos ajustes necessários.

“Além de trazer informações úteis da produção ao PCP (Planejamento e Controle da Produção), o acompanhamento e controle da produção também é encarregado de verificar alguns dados, como índices de defeitos, horas/máquinas e horas/homens consumidas, consumo de materiais, índices de quebras de máquinas, entre outros”, finaliza Rafaela.

E então, pronto para implantar o PCP (Planejamento e Controle da Produção) no seu negócio? Deixe sua mensagem nos comentários e até a próxima!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *