A Expomafe, Gestão

Conheça os processos mais usados na conformação de chapas de aço

De maneira geral, podemos dizer que a conformação de chapas de aço pode ser realizada por meio de dois diferentes tipos de processos: o mecânico e o hidráulico. Vale lembrar que conformação ou transformação provoca uma mudança na geometria ou nas dimensões das chapas, dependendo da operação realizada.

“É importante conhecer os procedimentos mais usados na conformação de chapas de aço para que seja possível escolher a melhor opção para a fabricação de um item desejado, de acordo com as necessidades da empresa e a sua atual realidade de produção”, ressalta Norberto Mouro, professor do Centro Federal de Educação Tecnológica de Santa Catarina.

Confira, a seguir, os principais tipos de processos utilizados na conformação de chapas de aço e as principais diferenças entre cada um deles.

1. Processo de forjamento

Um dos processos mais utilizados na conformação de chapas de aço é o forjamento. Esse é um nome genérico que se refere às operações de conformação mecânica efetuadas com esforço de compressão sobre um material dúctil (que se deforma sob tensão de tração), fazendo com que ele assuma o contorno ou perfil da ferramenta de trabalho.

Assim, “a matéria-prima é colocada na parte inferior do molde, então a parte superior desce em alta velocidade e atinge a matéria-prima. A rápida deformação do material beneficia as propriedades mecânicas da peça, gerando um encruamento superficial”, esclarece Mouro.

Dessa forma, dependendo do tipo do processo adotado no forjamento, pode-se gerar uma mínima perda de material, com boa precisão dimensional. Portanto, diversas técnicas produtivas são adotadas para se conseguir forjar peças para melhorar as características metalúrgicas. Por isso, esse processo é bastante utilizado atualmente.

2. Processo de estampagem

Outro método muito utilizado na conformação de chapas de aço é o de estampagem, que pode ser considerado como um processo de fabricação de peças, com o corte ou a deformação de chapas em operação de prensagem a frio. Assim, emprega-se a estampagem de chapas para a fabricação de peças com paredes finas, feitas de chapa ou fita de diversos metais e ligas.

Portanto, esse é o processo pelo qual uma chapa é conformada ou transformada por meio da aplicação de uma força vertical e assume a forma da ferramenta, matriz e estampa, utilizada na operação.

O formato final da peça dependerá da chapa de aço especificada, do equipamento que está sendo utilizado na estampagem e da ferramenta aplicada na operação.

3. Laminação a quente ou a frio

De maneira geral, esse pode ser considerado o processo básico para a produção de chapas de aço, que consiste na passagem de bobinas ou chapas pré-laminadas pela abertura existente entre dois cilindros, que giram em sentidos opostos, fazendo com que a chapa fique com a espessura desejada, sendo exatamente igual à abertura entre os cilindros.

Na chapa laminada a quente (produzidas acima de 900º C), esse procedimento se inicia com a laminação de placas no Laminador de Tiras a Quente (LTQ) que resultam em bobinas laminadas a quente. Dessa forma, é possível utilizar o método para diversas aplicações como, por exemplo, longarinas, rodas, pisos (chapa xadrez), tubos de diâmetros variados, indústria de móveis, fabricação de autopeças, entre outros.

Já nas chapas laminadas a frio (produzidas abaixo de 100º C), a produção ocorre a partir de bobinas laminadas a frio, que são obtidas no Laminador de Tiras a Frio (LTF), usando como matéria-prima bobinas laminadas a quente. Ela é recomendada para a fabricação de produtos da linha branca (eletrodomésticos) devido ao seu acabamento, maleabilidade e resistência.

4. Processo de corte e dobra

Ambos os processos se complementam e ocorrem a partir de uma chapa de aço padrão, alterando as suas dimensões e recortando-a para que, em seguida, ocorra o seu dobramento. Com isso, é possível obter formas bem definidas.

O corte pode ser visto como um processo de separação de uma chapa através de um golpe de prensa. Dessa forma, uma porção do material fica com um contorno determinado. Para esse procedimento, utiliza-se a ferramenta chamada de          “estampo de corte”.

Já a dobra consiste em obter uma peça formada por uma ou mais dobras de chapa plana. Para isso, utiliza-se a ferramenta chamada de “estampo de dobra”.

“Para a conformação de chapas de aço há, também, o processo conhecido com embutimento ou repuxo. Essa é uma operação que tem como objetivo obter peças em forma de recipientes, como canecas, caixas e tubos. Isso é possível pela deformação da chapa, com golpes de prensa, utilizando a ferramenta chamada de estampo de repuxo”, salienta o professor.

Quer saber mais sobre os processos usados na conformação ou transformação de chapas de aço?  Continue acompanhando o nosso canal de conteúdo e até a próxima!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *