A Voz da Indústria faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Sitemap


Articles from 2018 In April


Assinatura de software de gestão industrial elimina custos de infraestrutura

softare-gestao-industrial-totvs

Manter a infraestrutura de sistemas de gestão industrial dói bastante no bolso de todo gestor, especialmente em empresas de pequeno e médio portes. É necessário destinar uma boa parte do orçamento anual para pagamento de licença, servidor, profissional para controlar o servidor e todas as necessidades para ter um ambiente de suporte. No entanto, a assinatura de software desponta como uma opção bem mais acessível por tornar todo esse mecanismo bem mais enxuto.

A assinatura de um software de gestão industrial permite acessar o serviço de qualquer computador em qualquer lugar, através da internet, pois ele não está instalado no computador. Dessa maneira, o fornecedor acaba sendo responsável pelo provedor do serviço, eliminando da indústria a necessidade de equipamento próprio, independentemente do tamanho da equipe que acessa o software de gestão industrial.

Licença x assinatura de software de gestão industrial

“Assinatura de serviço ao invés de aquisição de licença é uma sacada muito importante para pequenas e médias indústrias. Com a assinatura, é pago um valor mensal e a empresa tem todo o ambiente na nuvem”, afirma Angela Gheller Telles, diretora dos Segmentos de Manufatura e Logística da TOTVS.

Vale lembrar que num processo normal, a aquisição de licenças de sistemas de gestão industrial é feita individualmente. “Para cada solução tem de desembolsar um valor para licença e um valor para implantação, como módulo de exportação, ERP e APS.” A assinatura deixa tudo isso à disposição, tendo só de pagar a implantação de acordo com a necessidade de cada empresa.

Software de gestão evita a perda de clientes

Uma aplicação da Carol, solução de Inteligência Artificial da TOTVS, chamada Diagnóstico de Vendas funciona como um motor de análise de dados que capta 10 anos do histórico de vendas da empresa e começa a traçar o perfil dos seus clientes, especificamente. O objetivo é entender os comportamentos dos que já deixaram de comprar e reconhecer atitudes semelhantes na base ativa.

Dessa forma, a solução - contratada por um plano de assinatura mensal - dá insights preditivos para que o gestor possa propor ações direcionadas, como uma visita, uma nova negociação ou flexibilização no pedido, por exemplo, antes que o prejuízo aconteça. Enquanto em um processo tradicional, a análise é em relação ao passado – uma vez que leva mais tempo para ser concluída, com a IA, a informação passa a estar disponível em tempo real, com velocidade e assertividade para a tomada de decisão.

Em um caso real, o Diagnóstico de Vendas conseguiu um acerto de 70% na indicação dos clientes que estavam em risco de evasão – analisou, em apenas alguns minutos, uma base de 30 mil empresas, 250 mil notas fiscais, 370 mil pedidos e 1,2 milhão de itens. Para chegar a este resultado, a empresa levava de 10 a 20 dias e o percentual de acerto era de 32%, necessitando de um profissional inteiramente dedicado a esta função.

Totvs_voz da industria

*Este material é um publieditorial, sob responsabilidade de TOTVS

Ferramenta abrasiva permite acabamento superficial de forma rápida e eficiente

tyroli-power-feimec-a-voz-da-industria

Muitos são os fatores que influenciam nas operações de usinagem, incluindo a qualidade do acabamento superficial das peças. A Tyrolit sabe disso, tanto que está trazendo para a FEIMEC – Feira Internacional de Máquinas e Equipamentos, que termina hoje, 28 de abril, no São Paulo Expo, o Tyrolit Power – uma combinação de fios naturais escovados suportados por uma manta com camada diamantada, que permite o acabamento superficial controlado e uniforme das peças, de forma muito mais rápida e eficiente, substituindo as lixadeiras convencionais de ação dupla e garantindo ganhos significativos de produtividade e redução de custo.

“Ele opera quatro vezes mais rápido e diminui o esforço de trabalho em 75%, garantindo máxima eficiência econômica. Por ser um processo isento de vibração, o Tyrolit Power evita o risco de ocorrência da síndrome de Raynaud (dedo branco), doença muito comum em operadores que fazem uso de lixadeiras convencionais por longos períodos de tempo”, explica Eduardo Saltini, gerente da Tyrolit do Brasil.

As tiras de lixa Tyrolit Power estão disponíveis para máquinas manuais com comprimentos de 100 mm e 200 mm e também para máquinas automatizadas em comprimentos específicos, conforme a necessidade do cliente. As granulações disponíveis são: 80, 120, 180, 240, 320 e 500.

Os visitantes também poderão conhecer no estande da empresa o amplo portfólio de produtos abrasivos para aplicação nos mais diversos setores industriais, como siderúrgicas, fundições, indústria automotiva, mecânica de precisão, fabricantes de ferramentas e também para o setor de revenda industrial, como discos de corte, desbaste, flaps, limas rotativas e lixas.

Câmeras de infravermelho garantem manutenção preditiva com mais clareza e rapidez

camera-infravermelho-feimec-a-voz-da-industria

A câmera térmica é um dos instrumentos de diagnóstico mais importantes para a manutenção preditiva por mostrar variações de temperatura que, frequentemente, não são visíveis a olho nu, permitindo, assim, a aplicação de medidas corretivas. Sabendo disso, a Fluke Corporation está apresentando na FEIMEC - Feira Internacional de Máquinas e Equipamentos as novas câmeras de infravermelho Ti450 e Ti480 PRO, que capturam e exibem pequenas diferenças de temperatura com mais facilidade, clareza e agilidade.

Os novos dispositivos também são compatíveis com o aplicativo móvel Fluke Connect®, que permite a transferência de dados de medição para smartphones e o armazenamento na nuvem, o que aprimora a comunicação, a segurança e a produtividade da equipe de manutenção.

 “As nossas câmeras também têm foco automático, são as únicas do mercado com teste de queda de dois metros. Com elas, você consegue identificar qualquer variação de temperatura e possíveis falhas”, ressalta Caio Tappiz, gerente comercial do Rio de Janeiro da Fluke Brasil.

Embora estejam presentes no mercado há alguns anos, as câmeras térmicas têm evoluído para que a manutenção preditiva seja feita de forma mais rápida e precisa. Apesar disso, a solução ressaltar cabe em todos os bolsos” A Fluke tem desde modelos de R$ 4 mil e R$ 5 mil até câmeras de R$200 mil para uma utilidade bem mais específica”, finaliza.

Com tecnologia exclusiva, compressor de ar reduz em 20% o consumo de energia

compressores-ar-feimec-a-voz-da-industria

Peças importantes dentro da indústria, os compressores de ar também têm ganhado incrementos tecnológicos. Um exemplo disso é o compressor Audaz (MCSV 20), lançado pela Schulz nesta segunda edição da FEIMEC - Feira Internacional de Máquinas e Ferramentas, realizada até hoje, 28 de abril, no São Paulo Expo.

O modelo é o primeiro a ter um motor integrado de 5 hp de potência com acoplamento direto (que reduz a perda de energia e garante mais segurança), além de carenagem especialmente projetada para aumentar a eficiência de refrigeração do bloco compressor e um visor do nível de óleo que facilita seu monitoramento.

A novidade conta, também, com a exclusiva tecnologia IC-TECH®, que permite a conexão integrada entre estágios de alta eficiência, e ainda, trocas de óleo lubrificante a cada 300 horas (o que representa um ganho de 50% na durabilidade do óleo, considerando 200 horas como referência de mercado).

“O compressor Audaz é o nosso carro-chefe. Uma das características marcantes dele é a redução de 20% do consumo de energia. Além disso, o seu design elimina o uso de volante, polias, correias e serpentinas intermediárias”, ressalta André Luiz Pereira de Sousa, gerente nacional do canal tradicional da Schulz.

Além do Audaz, a empresa também apresenta na feira outras linhas de compressores (de pistão, de parafuso, booster e scroll), secadores (de adsorção e refrigeração), geradores de energia, motores a combustão, furadeiras de bancada, aspiradores de água e pó, ferramentas pneumáticas, acessórios e lubrificantes.

FEIMEC chega ao último dia com visitação qualificada e bons negócios

feimec-visitacao-qualificada-negocios-a-voz-da-industria

A FEIMEC - Feira Internacional de Máquinas e Equipamentos termina hoje, 28 de abril, no São Paulo Expo, com status de “a feira da virada” e marcando a retomada do crescimento da economia brasileira. Com 460 expositores e cerca de 900 marcas nacionais e internacionais, o evento tem recebido desde o seu primeiro dia milhares de visitantes interessados em fazer grandes negócios.

“A feira está muito boa. Os clientes estão com uma visão otimista do mercado, algo que há tempos não acontecia. Tem muito negócio sendo fechado na feira e planos de investimento acontecendo. Então, acho que a FEIMEC vai render bons negócios aí por alguns meses ainda”, afirma Ricardo Lerner, gerente do Grupo Bener.

Para Celso Fonseca, gerente da SEW EURODRIVE BRASIL, o evento também é um ponto de partida importante para o contato com novos clientes.

“A FEIMEC é muito importante para a SEW. Aqui a gente inicia o relacionamento com empresas e/ou pessoas que aparecem em nosso estande e demonstram interesse pelos nossos produtos. A partir daí, nós vamos até eles para entender onde vai ser aplicado o nosso produto, fazendo nascer uma nova relação”, declara Celso Fonseca, gerente da SEW-EURODRIVE BRASIL.

E muitos negócios estão sendo concluídos já durante a feira, como o case compartilhado pela DARDI International Corporation.  “A FEIMEC está bastante produtiva, com muita visitação e bons negócios. A gente já fechou várias máquinas aqui na feira e está muito contente com o resultado,” afirma Marcos Ribeiro, diretor da empresa.

Segmento de robótica tem novas tecnologias para otimizar produção com inteligência e segurança

abb-robotica-feimec

Robôs colaborativos, inteligentes e altamente produtivos estão sendo apresentados nesta segunda edição da FEIMEC - Feira Internacional de Máquinas e Equipamentos. Diante da transformação digital proporcionada pelo conceito da Manufatura Avançada e da retomada da economia nacional, muitas empresas estão desenvolvendo tecnologias a favor da eficiência e da segurança no chão de fábrica.

É o caso da Stäubli, que lança sua nova linha de robôs TX2, de seis eixos, voltados para a manufatura de alto volume, as aplicações da Indústria 4.0 e a colaboração entre humanos e robôs em todas as condições de produção imagináveis. Os novos robôs são oferecidos em seis modelos de série e têm a capacidade de manipular cargas entre 1,7 e 20 quilos, com um alcance entre 515 e 140 milímetros. Além disso, eles possuem um codificador que cumpre requisitos de segurança do setor.

Também presente na FEIMEC, a ABB apresenta sua nova linha de robótica. Além do robô colaborativo YuMi®, de braço duplo, projetado para trabalhar com segurança ao lado das pessoas em tarefas de montagem de peças pequenas, sem o uso de barreiras de segurança, a empresa traz um robô de soldagem novo para o mercado brasileiro – o IRB 1660ID –,  que foi projetado para fazer aplicações de soldagem, comuns na fabricação de automóveis, que exigem movimentos rápidos, repetitivos e extremamente precisos.

Empresa do segmento de robótica industrial, a Kuka Roboter trouxe para a FEIMEC seis robôs de diferentes portes. Entre eles, robôs que mostram o sincronismo de movimentação, com imagens de telas de led, e outro que faz entrega de brindes , por meio de um joystich.

O objetivo das apresentações é mostrar as vantagens do uso desse tipo de máquina no processo industrial, como  redução de custo de operação, alto desempenho, aumento de produção, redução de consumo de energia, segurança e qualificação de mão de obra.  A empresa faz, ainda, demonstrações do robô colaborativo LBR iiwa, que atende em 100% as Normas de Segurança NR-12.

Na feira, é possível conferir, também, o “robô barman” – no estande da Yaskawa Motoman. De alta durabilidade, suas principais características são sensores de torque redundantes em cada um de seus seis eixos e um design que não permite pontos de esmagamentos, tornando-o confiável e apto para trabalhar de maneira segura lado a lado com os operadores no dia a dia.

A visitação à FEIMEC é gratuita e o credenciamento continua aberto a todo o público do setor de máquinas e equipamentos neste sábado, 28 de abril, no São Paulo Expo, com traslado gratuito da estação Conceição do metrô e do aeroporto de Congonhas.

FEIMEC apresenta amplo portfólio de máquinas para usinagem; confira

bener-makino-feimec-a-voz-da-industria

A FEIMEC - Feira Internacional de Máquinas e Equipamentos apresenta até hoje, 28 de abril, no São Paulo Expo, um portfólio amplo de máquinas para usinagem. O Grupo Bener, por meio de seus parceiros, está trazendo uma série de soluções para o chão de fábrica.

Confira os detalhes, a seguir, na entrevista com Ricardo Lerner, diretor do Grupo Bener:

Quer saber mais? Faça já a sua inscrição para a FEIMEC gratuitamente. 

https://www.feimec.com.br/pt/credenciamento.html?utm_source=avozdaindustria&utm_medium=blog&utm_campaign=credenciamento&utm_content=feimec

Por que a FEIMEC transforma o futuro da sua empresa?

por-que-feimec-transforma-futuro-a-voz-da-industria

A FEIMEC - Feira Internacional de Máquinas e Equipamentos vai até amanhã, 28 de abril, no São Paulo Expo. Se você ainda não fez a sua inscrição, faça agora mesmo. Ainda dá tempo de você conferir a mais completa feira do setor de máquinas e equipamentos da América Latina e transformar o futuro da sua empresa.

Conceito de IoT aplicado em válvulas é apresentado na FEIMEC

internet-das-coisas-valvulas-feimec-a-voz-da-industria

Um dos pilares da Manufatura Avançada, a IoT (Internet das Coisas) pode ser aplicada em diversos setores da indústria. E na FEIMEC - Feira Internacional de Máquinas e Equipamentos é possível entender muito bem isso. A Metal Work Pneumatic do Brasil, por exemplo, está apresentando um bloco de válvulas que tem como base o conceito.

Nós trouxemos um bloco de válvulas com o conceito de IoT. Esse bloco permite às empresas adquirir uma quantidade de dados de tal forma que é possível monitorar a vida útil das válvulas e de outros equipamentos agregados às máquinas. Além disso, a tecnologia empregada permite o monitoramento da vida útil dos cilindros pneumáticos de uma máquina, de guias, buchas e dos tempos de processos, dando ao profissional a chance de utilizar os dados fornecidos com criatividade para suprir suas necessidades”, explica Elton Ferraz, coordenador de vendas do estado de São Paulo da Metal Work Pneumatic do Brasil.

A tecnologia de IoT empregada em válvulas pode sem utilizada em empresas de pequeno, médio e grande porte que já estão aplicando os conceitos da Manufatura Avançada, buscam o aprimoramento e/ou a adequação a essa realidade.

“A interface é bem amigável, mas se for de interesse do cliente, a Metalwork pode oferecer um treinamento, além de informações para que o cliente comece a se adequar ao conceito da Indústria 4.0”, finaliz Ferraz.

FEIMEC é ponto de encontro para geração de negócios internacionais

addup-feimec

30 países estão presentes na segunda edição da FEIMEC – Feira Internacional de Máquinas e Equipamentos para abertura de mercado em território nacional. São inúmeras soluções para os mais diferentes segmentos que podem ser vistas de perto até o dia 28 de abril, no São Paulo Expo.

Alemanha, França, Itália, China e Estados Unidos são alguns dos países que enxergaram na feira uma oportunidade de se relacionar com o mercado de máquinas e equipamentos para a geração de negócios.

É o caso da França, que trouxe para o Brasil uma solução inovadora de impressão metálica 3D. “É uma tecnologia de fabricação que pode ser utilizada para os mais diversos setores. A impressão 3D de metal é indicado para peças mais difíceis de serem fabricadas em formas tradicionais. Ela dispensa assemblagem, causando uma forte redução de tempo de produção”, afirma Pascal Jousselin, engenheiro comercial da AddUp.

Ele explica que a presença no Brasil tem por objetivo a abertura de mercado, mostrando este novo conceito que pode modificar a forma de produzir peças complexas. “Essa é uma revolução tecnológica. O Brasil é um país industrial com um grande potencial de crescimento. O ideal é treinar os profissionais para este novo conceito, para que ele possa ser incorporado aos poucos nas empresas”, diz.

Alemanha enxerga oportunidades de negócio no setor da indústria brasileira

pavilhao-alemanha-feimecCom grande destaque nesta edição, a Alemanha foi representada por oito empresas. O pavilhão alemão é fruto de uma parceria com a VDMA, instituição internacional que representa o mercado de máquinas do país.

Yvonne Heidler, representante da VDMA na Alemanha, comenta que muitas empresas vieram a FEIMEC para conhecer o mercado brasileiro e fazer novos clientes para gerar negócios. “Alguns clientes já possuem clientes brasileiros, mas muitos são novos neste mercado”, comenta. Com a retomada da economia, essas empresas enxergaram na FEIMEC uma oportunidade de firmar seu posicionamento e gerar vendas.

Rodada de Negócios fomenta exportação na indústria brasileira de máquinas e equipamentos

Além dos estandes das empresas internacionais, a Rodada Internacional de Negócios, organizada pela ABIMAQ e pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) promoveu o encontro de empresas e importadores convidados de mercados estratégicos. Foram 10 compradores de cinco países: África do Sul, Argentina, Chile, Peru e Rússia.

A FEIMEC acontece até o dia 28 de abril e a visitação é gratuita. São mais de 900 marcas, além de uma programação exclusiva de conteúdo sobre os assuntos mais relevantes para o setor da indústria.