A Voz da Indústria faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Sitemap


Articles from 2016 In July


Tecnologia de produção e mais 8 conceitos técnicos estão na FEIMEC 2016

18244

Quem deseja ampliar o conhecimento em temas relacionados ao universo da indústria não pode deixar de visitar a Arena Técnica, durante todos os dias da FEIMEC. Altamente educativo, o espaço dará espaço para que visitantes conheçam de perto conceitos técnicos e práticos que envolvem novas tecnologias, lançamentos e soluções industriais aplicáveis no dia a dia da indústria.

Nove grandes temas estão garantidos durante a programação: automação, controle e medição, solda e tratamento de superfícies, tecnologias em máquinas-ferramenta, uso de motores e redutores, compressão e equipamentos hidráulicos e pneumáticos, fundição e forjaria, movimentação e armazenagem, e tecnologia de produção.

Soluções em inovação de processo e produtividade serão lançadas na FEIMEC 2016

18259

Entre os dias 3 e 7 de maio, consumidores da cadeia de máquinas, equipamentos, peças e ferramentas em busca de soluções para ampliação das plantas, inovação de processos e aumento da produtividade encontrarão os principais fornecedores nacionais e internacionais na FEIMEC.

No segmento de Robótica, serão lançados produtos de empresas como Staubli, Kuka Roboter, ABB, Comau, Fanun e Promotion. Quem passar pelo estande da Kuka conhecerá o LBR IIWA 14 R820, uma inovação colaborativa em robôs com sentido sensorial para segurança, aprendizagem rápida e operação simples. Isso abre áreas de aplicação na proximidade de pessoas que até então estavam fechadas para a robótica.

LBR IIWA 14 R820, da Kuka Roboters

Soluções na áreas de Impressão 3D e Manufatura Digital também estão bem representadas SKA, FARO e Aicon 3D. A SKA promete surpreender o mercado com a impressora mais moderna do mundo, a Objet260 Connex3, da Stratasys, capaz de imprimir objetos 3D com múltiplos materiais e cores simultaneamente. Essa tecnologia permite a construção de modelos com a mesma textura e aparência do produto final em um único ciclo de impressão, e é ideal para peças que exigem diferentes propriedades mecânicas, ópticas e térmicas.

Objet260 Connex3, da SKA

Festo, SMC, Parker, Norgren, Ascoval e Camozzi são exemplos de fornecedores do segmento de Tecnologias Industriais que estão cheios de novidades. A Festo destaca o HGO (Handling Guide Online), que simplifica o processo de especificação, engenharia detalhada e compras – com a consequente redução de tempo e de custo para os clientes. De olho na tendência da manufatura avançada, a SMC escolheu dois lançamentos para levar à FEIMEC: os Atuadores Elétricos, voltados para aplicações que exigem precisão de movimentos e paradas intermediárias, e a Unidade Geradora de Vácuo Série ZK2, que é compacta, dispõe de um ejetor mais eficiente do que a versão anterior e possibilita aumento de 50% na vazão de vácuo e redução de 90% no consumo de ar.

Unidade Geradora de Vácuo Série ZK2, da SMC

Participe de seminários técnicos de manufatura avançada e gestão de energia

18246

Você deve concordar que a crise é o momento certo para buscar qualificação. Pensando em ampliar horizontes de gestores e equipe de apoio, neste ano a FEIMEC vai além do fomento de negócios e abrirá espaço para o debate dos grandes temas, tendências e desafios da indústria de máquinas, equipamentos, peças e ferramentas. Para se ter uma ideia, o conteúdo técnico inclui grandes seminários sobre temas que têm impacto direto no presente e futuro da indústria de bens de capital.

Seminário Manufatura Avançada

Acontece no dia 04/05 em conjunto com o VI Simpósio Internacional de Excelência em Produção, realizado pela VDI em parceria com a ABIMAQ, e que, neste ano, traz o tema Indústria 4.0 – Curto, Médio e Longo Prazo.

Os painéis, voltados para empresários, executivos, engenheiros, estudantes e demais profissionais de tecnologia serão apresentados por renomados palestrantes da Alemanha e do Brasil. O presidente do BNDES, Luciano Coutinho, está previsto para fazer o encerramento.

A programação do Seminário de Manufatura Avançada inclui a visita à demonstração de fábrica inteligente que estará funcionando na FEIMEC 2016. O projeto envolve mais de 20 empresas e entidades ligadas a diferentes setores, como automação e controle, robótica, mecatrônica, comunicação e internet. Clique aqui e veja os detalhes do seminário.

Seminário de Eficiência Energética ISO 50001 - Gestão de Energia

Acontece no dia 05/05 e tem o tema relacionado não só à redução dos custos operacionais das indústrias, mas também ao uso racional dos recursos naturais e aos níveis de emissão de gases do efeito estufa.

Nesse sentido, a ISO 50001 oferece requisitos que visam a estabelecer uma política para melhorar a eficiência energética das empresas. Entre os palestrantes estão representantes do Ministério de Minas e Energia, Eletrobrás, ABNT, ABESCO e Inmetro. Clique aqui e veja os detalhes do seminário.

Confirme sua presença ao fazer seu credenciamento, aproveite a oportunidade de qualificação e compartilhe com sua equipe.

Sua terceirização industrial tem problemas? Entenda o que pode estar errado

17188

Da montagem à manutenção, passando pela inspeção de estruturas metálicas e chegando à automação: a terceirização não tem mais volta para as indústrias. Cerca de 70% delas contam ou contaram, nos últimos três anos, com prestadores de serviços, segundo a Sondagem Especial da CNI (Confederação Nacional da Indústria). Em contrapartida ao alto volume de processos, é comum que a contratante enfrente dificuldades como qualidade menor que a esperada, risco produtivo e insegurança jurídica.

Problemas aparecem, normalmente, quando a terceirização não é feita em conjunto entre as áreas demandante e de suprimento, pois cada uma tende a levar em consideração medidas distintas. Enquanto um lado está inclinado ao quesito técnico o outro tem como referência o valor do contrato. Aqui, o desafio é equilibrar os dois pesos sob a máxima “ser bem atendido com o menor custo”. Confira cinco motivos que dão dor cabeça à indústria e fuja deles.

Escolha errada do fornecedor

A percepção de entregas aquém da expectativa leva à análise do processo de contratação da prestadora de serviços terceirizados e pode concluir que a escolha não foi das melhores. Para avaliar um pouco melhor se a escolha foi certa ou errada, o coordenador de Consultoria em Gestão e Processo Produtivo do SENAI-SC, Rodrigo Kurek, aponta quatro critérios que levam ao parceiro ideal.

1 - Inquestionável reputação entre os clientes atendidos.

2 - Estrutura disponível para absorver o volume de atividades terceirizadas.

3 - Histórico de atendimento de processos similares ou para o seu segmento.

4 - Flexibilidade e fácil acesso às informações de gestão dos processos terceirizados.

Refém do fornecedor

Se a prestadora dos serviços detém equipes multidisciplinares que consigam absorver as especificidades de mais de um processo, é pertinente aceitar que ela acumule mais de uma etapa produtiva em sua indústria, assim há ganho no contrato em escala maior. Contudo, redobre a atenção aos riscos atrelados e questione “em caso de falência do fornecedor, os impactos em mais de uma frente são possíveis de serem amenizados com agilidade?”.

Dificilmente quem oferece tudo é especialista em tudo, então prefira entregar de duas a três atividades para a mesma prestadora de serviços. Quanto mais parceiros com focos específicos, melhor.

Falta de avaliação periódica

Ter uma política de terceiro bem delineada dá parâmetros para avaliar constantemente o desempenho do fornecedor e analisar se o que foi prometido em contrato está sendo desempenhado. Passo importante para isso é formatar um manual que indique os níveis de serviço (SLA) e o escopo do trabalho, por exemplo. “É a ação preventiva de risco que leva a um bom processo de gestão da técnica, do contrato e do terceiro”, diz Adriano Dutra da Silveira, consultor de gestão de risco da terceirização da Level Group.

Ter uma política de terceiro bem delineada dá parâmetros para avaliar constantemente o desempenho do fornecedor e analisar se o que foi prometido em contrato está sendo desempenhado

Distração na área técnica

A principal finalidade da terceirização é permitir que a indústria canalize seus esforços na gestão dos processos estratégicos para o negócio, usando ao máximo os conhecimentos específicos de seus colaboradores para alcançar um diferencial competitivo. Logo, não é inteligente usar o tempo de um profissional da área demandante para gerir contratos, pois assim são geradas distrações desnecessárias e o desempenho estratégico pode ficar comprometido. A ele cabe o que mais entende: a gestão técnica do serviço.

Falta de atenção às questões trabalhistas

Você já ouviu falar em casos de empresas tomadoras de serviços responsabilizadas a ressarcir obrigações trabalhistas não executadas pela terceirizada? Essa situação causa tanto arrepio no mercado que 83,4% das indústrias de grande porte e 77,3% das de médio porte verificam o cumprimento dos encargos dos empregados da contratada, de acordo com a Sondagem da CNI.

“É prudente que no momento da contratação a empresa se certifique que a terceirizada tenha respeitada e quitada todas as suas obrigações trabalhistas e que possua saúde financeira suficiente para cumpri-las”, informa Carlos Kurtz, diretor jurídico da FIESC (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina).

http://feimec.com.br/e-book---guia-pratico-para-driblar-a-crise

Como o setor de petróleo e gás tem superado a crise? Descubra na FEIMEC 2016

18252

Com salto de 3% para 13% de participação no PIB (Produto Interno Bruto), o segmento de petróleo e gás tem superado o período de crise na economia brasileira. Para desvendar as perspectivas desse setor, importantes nomes do mercado se reúnem no dia 03/05, durante a FEIMEC, no Seminário Oil & Gas Day. Representantes da ABIMAQ, Petrobras, Shell e SBM apresentarão o cenário atual da indústria do petróleo e gás, as oportunidades em cenário de crise e os horizontes no mercado demandante.

Você não pode perder a chance de ampliar conhecimentos sobre o setor de petróleo e gás.

Aumente eficiência e ainda reduza custos com big data em sua indústria

18320

Usado para definir um conjunto de novas tecnologias para armazenar e processar grandes volumes de informações, o Big Data se bem explorado, vai ajudar as empresas de máquinas e equipamentos a reduzir custos, melhorar a eficiência e aumentar a receita ao oferecer serviços agregados e o desenvolvimento produtos. Segundo análise do Ministério da Educação e Desenvolvimento da Alemanha, de 2012, essa transformação é tão revolucionária quanto a popularização do uso da máquina a vapor.

De acordo com o consultor de pré-vendas do SAS Brasil, Marlos Bosso, a expectativa é de que, em 2020, mais de 40 bilhões de dispositivos inteligentes conectados à internet estejam em funcionamento em todo o mundo. Vários dos dispositivos eletrônicos de plantas industriais estarão conectados à mesma rede conversando entre si e essas comunicações serão armazenadas para análises.

"As vantagens são tão grandes que aqueles que demorarem ao adotar essas tecnologias certamente perderão competitividade", afirma Bosso

Essas informações poderão ser analisadas, permitindo identificar padrões e eventos com mais agilidade e assertividade. O que, na opinião do consultor, vai facilitar a manutenção preditiva permitindo a recuperação imediata antes de uma falha, o que evita a manutenção corretiva e eventuais perdas associadas a falha e diminuindo as paradas.

Assim, será possível determinar o tempo necessário a cada peça ou grupo de peças no processo de cura de componentes de uma máquina, considerando temperatura, pressão, umidade do dia, além de qualidade da matéria-prima. Dessa maneira, não será usado o mesmo tempo para todos os objetos, o que permite a qualidade desejada com redução de tempo e custos de reparos.

Informações

Bosso explica que as empresas podem coletar as informações de todos os seus produtos em todos os seus clientes, usá-las para entender melhor os padrões de uso e desenvolver soluções melhores para as necessidades e criar serviços agregados. Por exemplo: junto com um equipamento, podem ser oferecidos serviços de monitoramento remoto para avisar sobre falhas que estiverem para ocorrer, além de dicas de otimização operacional com os dados coletados e processados.

Isso já uma realidade em setores como o aeronáutico, em que e as grandes fabricantes de aviões oferecem às empresas aéreas um serviço que avisa quando as aeronaves devem passar por manutenção e dão dicas para melhor uso e menor gasto, exemplifica o especialista.

manufatura avançada - infográfico