Indústria 4.0 by TOTVS

Vantagens da integração do sistema MES ao ERP na Indústria 4.0

A Indústria 4.0 é uma realidade que se faz cada vez mais presente e necessária para aumentar a eficiência nos processos produtivos e obter vantagens competitivas em relação ao mercado. A utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) na indústria trouxe consigo um novo nível de organização e controle sobre todo o processo de produção e distribuição dos produtos.

Entende-se que esses sistemas de informação são muito importantes para viabilizar o funcionamento da Indústria 4.0 e, sem eles, a empresa não tem a menor condição de iniciar os trabalhos nesse conceito.

Sendo assim, a seguir, saiba mais sobre como funciona a integração do sistema MES ao ERP na Indústria 4.0 e quais são as suas vantagens.

MES e ERP

Antes de falarmos sobre a integração do MES ao ERP na Indústria 4.0, vamos ver os conceitos dessas ferramentas?

O que é MES?

O MES, ou Manufacturing Execution System, é um sistema de gerenciamento das atividades da produção. Ele permite o levantamento dos dados do processo produtivo diretamente do chão de fábrica para que sejam analisados em tempo real.

O que é ERP?

O sistema ERP, como é conhecido o Enterprise Resource Planning, é uma solução completa de gestão que trabalha com diversas informações de uma empresa – desde o inventário até a demanda dos clientes. Trata-se de uma ferramenta que automatiza o controle dos materiais e estoques, promove o gerenciamento online da produção e do OEE (Overall Equipament Effectiveness), faz a inspeção da qualidade, controle da manutenção, entre outras funcionalidades.

Como MES e ERP são integrados

O coordenador do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Universidade de Caxias do Sul, Gabriel Vidor, explica as funcionalidades destes sistemas:

“Sistemas de informação para registro (como o ERP) e para controle (como MES) permitem que as empresas observem o que está acontecendo em tempo real com seus recursos e processos. Dessa forma, sistemas ERP e MES são necessários para indicar, validar, acompanhar e auxiliar na tomada de decisão de todas as atividades de uma empresa que decide trabalhar com o viés da manufatura avançada”, destaca.

Um bom exemplo de integração é o TOTVS MES, um sistema que busca viabilizar o aumento da produtividade e a redução de gargalos na produção, automatizando a coleta de dados das máquinas da fábrica e permitindo o apontamento online de ordens de produção, consumos, paradas, inspeções de qualidade e ocorrências de manutenção, por meio de indicadores de desempenho.

Mauro Spinola, professor e consultor em projetos de avaliação e melhoria de processos de sistemas em empresas industriais e de serviços da Fundação Vanzolini, analisa sua utilização: “A chave está na ampla disponibilidade das informações relevantes em tempo real, que permite plena conexão da cadeia de valor. Conectam-se pessoas, coisas e sistemas, criam-se conexões dinâmicas, auto organizadas, em tempo real e otimizadas, dentro e entre organizações.”

As vantagens dessa integração para a indústria

A integração entre estas duas ferramentas ajuda a garantir um fluxo livre de informações para obter uma fabricação mais enxuta, eficiente e efetiva. Isto pode auxiliar no gerenciamento dos dados e proporcionar uma melhor tomada de decisão, colaborando para que as indústrias consigam orquestrar ordens de produção e tornar sua organização mais flexível às necessidades e alterações nas demandas. Assim, é possível aumentar a eficiência geral dos equipamentos (OEE) e reduzir o tempo dos ciclos da produção.

Além disso, a utilização dos dispositivos de sensoriamento e controle pode auxiliar na realização de ajustes de produção em tempo real, além de permitir a manutenção dos estoques de forma a realizar previsões precisas de demandas, possibilitando as entregas Just-In-Time e evitando gastos excessivos de recursos.

Perspectivas de evolução para a Indústria 4.0

Os sistemas MES devem manter participação ativa no processo de transição da Indústria 3.0 para 4.0, pois permitem a coleta e monitoração de informações. Para atender ao conceito da Indústria 4.0, será necessário que o ERP seja convertido para uma nova geração denominada Smart ERP (SERP), que deverá ter uma arquitetura orientada a serviços (SOA), permitindo usar funções e serviços de diversos provedores de software por meio de interfaces padronizadas.

A Internet das Coisas (IoT) permitirá uma comunicação direta entre o ERP e os Sistemas ciber-físicos (CPS), e a nova geração de ERP vai possibilitar o uso de computação em nuvem para acessar a Internet de Serviços (IoS).

Totvs_voz da industria

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *