Indústria 4.0 by TOTVS

Lean manufacturing: os passos para colocar em prática

Competitividade e eficiência são fundamentais na Indústria 4.0, e, cada vez mais, as empresas que não se adaptarem ficarão para trás. Nesse cenário, o Lean Manufacturing, ou “manufatura enxuta”, faz toda a diferença para diminuir os desperdícios, mas sem deixar de entregar alto valor ao cliente.

Quer entender melhor como a metodologia pode ajudar a sua empresa a se enquadrar na nova realidade da Indústria 4.0? Continue com a leitura deste artigo e descubra como implementar o Lean Manufacturing!

O que é Lean manufacturing?

“Entendemos o Lean Manufacturing como um conjunto de  ferramentas que auxilia na identificação e eliminação do desperdício, melhora a qualidade e permite reduzir o tempo e o custo de produção”, explica Virgilio Ferreira Marques dos Santos, sócio da FM2S Treinamentos, Projetos e Resultados.

De acordo com o profissional, a metodologia é baseada em maximizar o valor do cliente e minimizar o desperdício“Trocando em miúdos, lean significa criar mais valor para clientes com menos recursos. Uma organização enxuta entende o valor do cliente e concentra seus principais processos para aumentá-lo continuamente. O objetivo final é fornecer valor ao cliente por meio de um processo perfeito de criação de valor, que desperdiça nada”.

A importância da metodologia na Indústria 4.0

O Lean Manufacturing não é algo novo, afinal, ele se tornou conhecido como Sistema Toyota de Produção por volta de 1924.  Apesar da história, a metodologia ainda é bastante atual, e, quando falamos da Indústria 4.0, é fundamental para aumentar a produtividade da empresa sem deixar a competitividade e a eficiência de lado.

“O objetivo do Lean Manufacturing é reduzir o tempo entre o momento em que o cliente faz um pedido e a entrega, eliminando todas as perdas dessa cadeia”, complementa Santos.

Além disso, o especialista aponta outras vantagens da metodologia, como:

  • Realização de tempos de troca mínimos (SMED);
  • Implementação one-piece-flow;
  • Implementação do planejamento da produção puxada;
  • Equipes de melhoria de atividades em grupos pequenos;
  • Eliminação de defeitos;
  • Estabelecimento de parcerias cliente-fornecedor;
  • Utilização de menos material;
  • Necessidade de menos investimento;
  • Uso menor de estoque;
  • Consumo menor de espaço;
  • Utilização de menos pessoas.

Como adotar o Lean Manufacturing na sua indústria

“Para implementar o Lean Manufacturing, usamos uma série de etapas. Central para essas etapas é o fato de que todas as mudanças têm como objetivo melhorar os serviços dos clientes. Durante o processo de implementação, é importante conhecer as demandas e desejos que o cliente tem em relação ao produto”, explica Santos.

Para tanto, é preciso iniciar o processo com um mapeamento da cadeia de valor. Com ele, serão identificados os desperdícios atuais, bem como os pontos enxergados pelos clientes como valor.

“Torna-se possível, então, documentar o processo de adição de valor para um produto. Entre outras coisas, isso pode ser feito com a ajuda de um mapa de fluxo de valor VSM. Nós nos esforçamos para eliminar todas as perdas da atual cadeia de processos. E isso realmente implica que o fluxo de materiais e informações do processo anterior para o próximo ocorrerá sem demora e armazenamento intermediário”, complementa.

Para chegar a esse patamar, Santos afirma que é preciso exigir uma produção muito confiável e efetiva com a medição do OEE (taxa de disponibilidade + taxa de desempenho + taxa de qualidade).

“Isso pode ser alcançado implementando a Manutenção Produtiva Total. Ao ter um processo de produção confiável e eficaz, o intervalo de tempo entre a colocação de um pedido e a entrega se torna consideravelmente mais curto. Por conseguinte, não é mais necessário produzir com base no que tem em estoque, e é possível produzir uma quantidade que o cliente quer e no momento em que o quiser”.

Como o Lean Manufacturing gera valor

O especialista traz um exemplo prático de adoção do Lean Manufacturing que vale a pena conhecer. “Um exemplo que acho memorável, para exemplificar valor, são os produtos que reduzem o custo de empacotamento e transporte. Ruben Rausing, o fundador da TetraPak, dizia que uma embalagem deveria gerar mais economia do que ela custava. Foi assim que a embalagem longa vida da TetraPak conseguiu o estrondoso sucesso mundo afora”.

Com isso, ao invés de manter a embalagem de saco plástico, a TetraPak revolucionou. A nova embalagem era mais cara, no entanto, eliminava o grande custo de refrigeração, além das menores perdas geradas e da redução dos custos com o empacotamento.

“Este exemplo mostra como o Lean Manufacturing é mais que apenas um conjunto de ferramentas”, finaliza o profissional.

E você, como enxerga o Lean Manufacturing na sua empresa? Ficou com alguma dúvida? Escreva pra gente pelos comentários e até a próxima! 

Totvs_voz da industria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *